Um Sítio...Joaquim Vairinhos

Um Sítio...Joaquim Vairinhos
Poesia e Prosa

segunda-feira, 20 de agosto de 2012



O poema insinua-se
na procura
penetra nos labirintos
frágeis das almas
nobres doces
endurecidas por certezas

inculcadas pelas palavras.
O poema insinua-se
como arma
cativando a alma
para o amor
na sedução das palavras.
O poema insinua-se
na mente
como amigo na denúncia
sempre presente
em causas injustas.
O poema insinua-se
como amante
privilegiado das damas
sonhadoras.
O poema insinua-se
enraizando nas delícias
da natureza e de suas
fraquezas.
O poema insinua-se
com magia e mistério
por entre os dedos
do aprendiz
na procura da certeza perfeita
das palavras.
O poema insinua-se
faz do poeta um fingidor
que leva a dor que sente
para seu corpo ausente
flutuante acima da dor.

emilio casanova, in "No Jardim dos Deuses"
Quadro de Dali...the birth of liquid desires

Nenhum comentário:

Postar um comentário