Um Sítio...Joaquim Vairinhos

Um Sítio...Joaquim Vairinhos
Poesia e Prosa

domingo, 18 de agosto de 2013


Que vozes são estas
não de demónios
de homens que se julgam anjos,
e se perdem todos os anos
nas pedras quentes
de um pontal adjetivado
como enorme prego
que atravessa consciências
nas dimensões que vivemos
resistimos e sofremos,
com aqueles coros de todos
que recusamos.
Que pontal é esse disfarçado,
mascarado que não tem uma voz de
perdão pelas palavras em promessas
que constroem a ilusão.
Que pontal é este que de descontentamento
faz a festa sobre ossos e restos
de cabelos pardos, peles secas,
olhos fundos.

Joaquim Vairinhos, 17/08/2013

sábado, 17 de agosto de 2013


Como são belas as palavras
quando queremos brindar alguém que nos toca,
dançam em chamas naquele planalto bem alto
onde nascem, vivem e morrem os prazeres
que se alcançam quando sobem os desejos
nas encostas de solitárias montanhas,
sorrisos acompanham as faces na subida,
certezas escorrem pelos vales da descida
amparadas em deleitosos amores,
construídos nos carinhos dos versos
arrumados em ramos das mais simples flores
caminhamos nas belas palavras...

Joaquim vairinhos


sexta-feira, 9 de agosto de 2013



mulata,
ao tempo teus olhos
de branco pinto
no ar da cor
que da paleta saltou
na pele que se fez
calor

quem te perdeu
amor buscou...

mulata,
ao tempo teus seios
de moreno pinto
no cheiro absorvente
de um corpo de frutos
feito alimento

quem te buscou
amor recebeu...

mulata,
ao tempo teus prazeres
de fogo pinto
no desejo ansioso
de um romance
quase infinito

quem te amou
amor encontrou...

Joaquim Vairinhos, in "Paleta de Amores", Rio 2013.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

O silêncio liberta afugenta maus pensamentos, silêncio abraça, e versos crescem povoados de sentimentos. Inscreve nada, para além de ti, porque te quero como nem sequer sei. Apenas sei que vindo do nada te quero dentro de mim, no silêncio das madrugadas. Como aconteceu não sei, vou pensar que estou contigo...

Joaquim Vairinhos

quinta-feira, 1 de agosto de 2013


quando dizes que amas

sorrisos felizes


fazes acordar aquele menino
que existe sempre
buscando amor, companhia
amizade e carinho


sorrisos em segredo


fazes pensar como hoje
amizade amor e carinho
são esquecidos trocados
por : que tens para dar
que ganho com isso ?


sorrisos doces


voo nas verdes palavras
na certeza que amas
sorrindo...

joaquim vairinhos
fotogenia simpatia alegria
dos dentes aos cabelos...
das mãos
ao ventre

erro...quem pensa
ser dono do poema

poesia anda por aí
aqui acolá ali...
poeta é só leitor
tradutor

fui procurar
versos do inverso
dos teus poemas
vi mundo novo
nas palavras guardadas
em rugas da alma

soltei-as, e
na liberdade que há em ti
poesia surgiu...escrevi !

joaquim vairinhos

emilio casanova, 01/08/2013, Rio

ser feliz...
as ondas riscadas da veste
cobre pele de arco-íris
em cores de belos matizes
ser feliz...
olhar gaiato de olhos castanhos
sorrindo para o mundo
busca novos caminhos felizes
ser feliz...
nos lábios leve sorriso caminha
voa em ondas de horizontes 
em elipses circulantes sem fim,
aspira.

emilio casanova, Rio, 01/08.
traços físicos marcados
em subterrâneos do corpo
somos sensibilidade
inteligência
caráter
amor
paixão,

será real 
amor verdadeiro
que vive
alimentado e iniciado 
em rede
na palavra do verso ?

amor irreal
incendeia mentes
ilumina corpos
chama espiritual
tão sentida.

terra sem semente.

na sustentável leveza da irrealidade
sonhando abraçado o corpo
na pureza da espiritualidade
interrogo :

que sentimento é esse ?

emilio casanova