Um Sítio...Joaquim Vairinhos

Um Sítio...Joaquim Vairinhos
Poesia e Prosa

domingo, 18 de agosto de 2013


Que vozes são estas
não de demónios
de homens que se julgam anjos,
e se perdem todos os anos
nas pedras quentes
de um pontal adjetivado
como enorme prego
que atravessa consciências
nas dimensões que vivemos
resistimos e sofremos,
com aqueles coros de todos
que recusamos.
Que pontal é esse disfarçado,
mascarado que não tem uma voz de
perdão pelas palavras em promessas
que constroem a ilusão.
Que pontal é este que de descontentamento
faz a festa sobre ossos e restos
de cabelos pardos, peles secas,
olhos fundos.

Joaquim Vairinhos, 17/08/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário