Um Sítio...Joaquim Vairinhos

Um Sítio...Joaquim Vairinhos
Poesia e Prosa

domingo, 12 de outubro de 2014




Sentir a cor do poema nas rochas de um sol posto
na miragem de olhares urbanos gastos de fadiga.

São ásperas as pedras do tortuoso morro 
naquelas encostas de ervas atlânticas.

Vale o esforço na penumbra da tarde já gasta
desperta pelo levantamento da nortada fria.

Iniciada que foi a partida do astro encerra-se o espetáculo
começa a debandada.

Se Sagres é o promontório do altar da profana missa
é a lua a guardiã da noite que se aproxima.

Joaquim Vairinhos, Sagres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário